7 de abr de 2010

Sem os bons créditos

Enquanto a mídia em massa trata de publicar cansativamente notícias sobre pastores e evangélicos envolvidos em falcatruas, ela joga na espiral do silêncio o serviço que os evangélicos faz a sociedade. Os locais mais ermos são percorridos por pastores e evangélicos dedicados na obra de levar a Palavra do Senhor e com ela um auxílio material, a mistura que Bíblia propõe.

No campo político, nas grandes cracolândias, travestis abandonados, em locais assolados pelas catástrofes da natureza, em aldeias indígenas entregues a doenças, etc.

Na política temos o senador Magno Malta no bom combate a favor da família, na luta contra os pedófilos e os abusos de lei contra a Igreja Cristã. À frente da CPI da Pedofilia, o senador mostra para o Brasil que pedofilia não são casos isolados como se pensava. Assim como a droga, a pedofilia é bem “democrática”, pois atinge todas as classes sociais, todas as religiões, todas as profissões e é mais presente do que se pensa.


Assisti ao “Profissão Repórter” no Haiti e vi claramente a presença de evangélicos, tanto soldados como médicos voluntários, levando conforto aos desabrigados, amputados, feridos, perdidos, esfomeados e pessoas que perderam toda família nos terremotos. A reportagem mostrou, mas sequer mencionou o trabalho desenvolvido por eles.

Trago também neste post, o trabalho desenvolvido pelo pastor Cappelletti nas ruas durante a noite, falando aos drogados, as prostitutas, aos travestis e a pessoas que vivem na rua. Paulo Cappelletti leva os que querem sair das drogas e das prostituição para sua própria casa e lhes dar lugar onde dormir, o que comer e acima de tudo, a esperança de um futuro através da Bíblia. Vale a pena assisti e ver que é um trabalho sério, sem de forma alguma, forçar a barra.


Agora, tem muita gente chamando evangélicos de fanáticos, ladrão e ignorantes. Eles, que tanto criticam os evangélicos não teriam coragem de fazer trabalhos como esses. Desafio algum movimento ateísta a mostrar um trabalho digno e árduo como esse. Não tem! Se não acreditam em Deus e só tem essa vida, pra quê perder tempo estragando sua única vida com os outros? O movimento gay que rotineiramente acusa os evangélicos de homofóbicos tem projetos sociais sim, mas para incentivar o homossexualismo, por isso nos acusam de homofóbicos, pois seu trabalho é de apologia. No entanto, abandonam os gays e travestis com AIDS. 

É muito fácil criticar quando se tem toda a imprensa a favor, quando se vê de longe os evangélicos, quando não se conhece os trabalhos desenvolvidos por todos aqueles “fanáticos e ignorantes”. A prepotência de um evolucionista que não pode provar a evolução, mas se acha ciência. O orgulho de um não-cristão entregue ao álcool e as drogas, mas se acha livre. O exímio criticador da Bíblia, mas não conhece a Bíblia. É por essas e outras coisas que os evangélicos vão ficando sem os bons créditos, mas também crescem assustadoramente, pois também é enorme o número de pessoas que descobrem que a vida sem Deus não é vida!

Nenhum comentário: