10 de mai de 2010

Projeto "Ficha Limpa" não garante eleições limpas

Anda-se falando muito da importância do "Projeto Ficha Limpa" para a moralização da política. Quem não é a favor deste projeto? Quem disser que é contra emitirá automaticamente uma mensagem de auto-culpa. É como o rapaz que rejeita fazer DNA para não ver provada uma paternidade que lhe custaria uma porcentagem de seu salário, assim sendo, a justiça o considera pai da criança (vítima) sem a necessidade do exame. Sou a favor e se não o fosse diria, mas que tudo se realize ao rigor da lei, nada de oba oba.

No entanto, o que penso sobre o projeto nada tem a ver com ele em si e sim com os brasileiros que serão beneficiados, quero dizer, poupados da tarefa cívica de pesquisar os candidatos em quem ele poderá votar. O brasileiro escolhe o candidato de última hora, de supetão frente a urna eletrônica ele digita os números que podem influenciar na sua vida nos próximos 4 anos. Se os homens analisassem o candidato como eles analisam um carro que podem comprar -- olham motor, bancos, direção, pneus carecas e reservas -- talvez não reclamassem tanto as condições das pistas cheias de buraco que os obrigam a levar o automóvel tantas vezes às oficinas. Ou, se as mulheres escolhessem os candidatos como escolhem as roupas, talvez não reclamassem tanto o salário que recebe, menor do que o salário dos homens fazendo o mesmo trabalho.

Contudo, mesmo com tanto cuidado e perícia na escolha do candidato sempre haverá corrupção, mas a indiferença nacional perante momento tão importante só faz com que ela, a corrupção, seja potentemente generalizada. Por isso, não nos acomodemos com o "Projeto Ficha Limpa", pois mais cedo ou mais tarde, os políticos fichas sujas, darão um jeitinho de burlá-la.


3 comentários:

Monsueto Araujo de Castro disse...

MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral



O QUE É O MONAV?


O MONAV – Movimento Nacional Pela Valorização do Voto -, lançado no dia 24 de outubro de l985, no Auditório Senador Teotônio Vilela, da Câmara Municipal de São Paulo, é um Movimento de luta contra a fraude e a corrupção eleitoral.

QUAL O OBJETIVO DO MONAV?

Contribuir para o desenvolvimento democrático, valorizando e dignificando o voto.

E COMO PODERÁ O MONAV ATINGIR ESSE OBJETIVO?

Conscientizando o eleitor de que o voto é na realidade fruto de sua consciência cívica.

O MONAV ESTÁ SENDO ACEITO PELOS POLÍTICOS ?

O MONAV está sendo aceito por todos os cidadãos contrários à corrupção eleitoral, na maioria dos casos incentivada pelo Poder Econômico.

O QUE SIGNIFICA VALORIZAÇÃO DO VOTO?

Valorizar o voto é honrar a democracia, mediante eleições realmente livres e verdadeiramente soberanas.














MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral

OS DEZ MANDAMENTOS DO ELEITOR CONSCIENTE

1º - Valorizar e dignificar o voto, utilizando-o para o engrandecimento do PAÍS, fortalecimento e grandeza da DEMOCRACIA e segurança da FAMÍLIA, para garantia do futuro de nossos filhos e netos.

2º - Não permitir que a corrupção, forjada e manipulada pelo Poder Econômico, faça de seu voto um instrumento ao alcance dos que só estão interessados em satisfazer suas ambições pessoais.

3º - Repudiar candidatos que, fantasiando-se de idealistas e humanitários, prometem mundos e fundos, além de dinheiro, emprego, alimento e remédio, com o intuito de explorar, em todos os sentidos, a boa-fé do eleitor.

4º - Condenar frontalmente os candidatos que, não respeitando a integridade do voto livre e consciente, exploram a miséria, com o objetivo de coagir eleitores a lhes dever favores e a votar por gratidão.

5º - Evitar votos brancos ou nulos com a desculpa de que nenhum dos candidatos merece ser votado, pois isso representa um julgamento injusto que poderá beneficiar os piores candidatos em prejuízo dos melhores.

6º - Advertir eleitores menos informados de que o voto secreto lhes garante a liberdade de consciência, que está acima de compromissos ocasionais e espúrios com candidatos corruptores. Votar em eleições livres é assumir compromisso com a própria consciência.

7º - Repelir a ação dos cabos eleitorais que, a troco de dinheiro e outras recompensas, agem como agentes comerciais intermediários, fazendo do voto alheio uma mercadoria lucrativa e relegando o eleitor ingênuo à condição de explorado.

8º - Desprezar qualquer tipo de propaganda eleitoral que atente contra a lei e a propriedade pública e privada, pois candidato que não respeita a lei não pode merecer o respeito e muito menos a confiança de eleitor que pretende valorizar seu voto.

9º - Nunca esquecer que o voto consciente é que contribui para fortalecer o verdadeiro poder democrático, que é o Poder do Povo, representado no Governo e nos Legislativos pelos cidadãos que são eleitos em eleições livres e soberanas.

10º - Defender, seja onde for, a valorização do voto, mediante reconhecimento de que todos nós, que possuímos título de eleitor, somos responsáveis pelos atos daqueles que elegemos e podemos ser responsabilizados pela democracia que temos. www.monav.com.br

Monsueto Araujo de Castro disse...

MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral



O QUE É O MONAV?


O MONAV – Movimento Nacional Pela Valorização do Voto -, lançado no dia 24 de outubro de l985, no Auditório Senador Teotônio Vilela, da Câmara Municipal de São Paulo, é um Movimento de luta contra a fraude e a corrupção eleitoral.

QUAL O OBJETIVO DO MONAV?

Contribuir para o desenvolvimento democrático, valorizando e dignificando o voto.

E COMO PODERÁ O MONAV ATINGIR ESSE OBJETIVO?

Conscientizando o eleitor de que o voto é na realidade fruto de sua consciência cívica.

O MONAV ESTÁ SENDO ACEITO PELOS POLÍTICOS ?

O MONAV está sendo aceito por todos os cidadãos contrários à corrupção eleitoral, na maioria dos casos incentivada pelo Poder Econômico.

O QUE SIGNIFICA VALORIZAÇÃO DO VOTO?

Valorizar o voto é honrar a democracia, mediante eleições realmente livres e verdadeiramente soberanas.














MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral

OS DEZ MANDAMENTOS DO ELEITOR CONSCIENTE

1º - Valorizar e dignificar o voto, utilizando-o para o engrandecimento do PAÍS, fortalecimento e grandeza da DEMOCRACIA e segurança da FAMÍLIA, para garantia do futuro de nossos filhos e netos.

2º - Não permitir que a corrupção, forjada e manipulada pelo Poder Econômico, faça de seu voto um instrumento ao alcance dos que só estão interessados em satisfazer suas ambições pessoais.

3º - Repudiar candidatos que, fantasiando-se de idealistas e humanitários, prometem mundos e fundos, além de dinheiro, emprego, alimento e remédio, com o intuito de explorar, em todos os sentidos, a boa-fé do eleitor.

4º - Condenar frontalmente os candidatos que, não respeitando a integridade do voto livre e consciente, exploram a miséria, com o objetivo de coagir eleitores a lhes dever favores e a votar por gratidão.

5º - Evitar votos brancos ou nulos com a desculpa de que nenhum dos candidatos merece ser votado, pois isso representa um julgamento injusto que poderá beneficiar os piores candidatos em prejuízo dos melhores.

6º - Advertir eleitores menos informados de que o voto secreto lhes garante a liberdade de consciência, que está acima de compromissos ocasionais e espúrios com candidatos corruptores. Votar em eleições livres é assumir compromisso com a própria consciência.

7º - Repelir a ação dos cabos eleitorais que, a troco de dinheiro e outras recompensas, agem como agentes comerciais intermediários, fazendo do voto alheio uma mercadoria lucrativa e relegando o eleitor ingênuo à condição de explorado.

8º - Desprezar qualquer tipo de propaganda eleitoral que atente contra a lei e a propriedade pública e privada, pois candidato que não respeita a lei não pode merecer o respeito e muito menos a confiança de eleitor que pretende valorizar seu voto.

9º - Nunca esquecer que o voto consciente é que contribui para fortalecer o verdadeiro poder democrático, que é o Poder do Povo, representado no Governo e nos Legislativos pelos cidadãos que são eleitos em eleições livres e soberanas.

10º - Defender, seja onde for, a valorização do voto, mediante reconhecimento de que todos nós, que possuímos título de eleitor, somos responsáveis pelos atos daqueles que elegemos e podemos ser responsabilizados pela democracia que temos. www.monav.com.br

Monsueto Araujo de Castro disse...

MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral



O QUE É O MONAV?


O MONAV – Movimento Nacional Pela Valorização do Voto -, lançado no dia 24 de outubro de l985, no Auditório Senador Teotônio Vilela, da Câmara Municipal de São Paulo, é um Movimento de luta contra a fraude e a corrupção eleitoral.

QUAL O OBJETIVO DO MONAV?

Contribuir para o desenvolvimento democrático, valorizando e dignificando o voto.

E COMO PODERÁ O MONAV ATINGIR ESSE OBJETIVO?

Conscientizando o eleitor de que o voto é na realidade fruto de sua consciência cívica.

O MONAV ESTÁ SENDO ACEITO PELOS POLÍTICOS ?

O MONAV está sendo aceito por todos os cidadãos contrários à corrupção eleitoral, na maioria dos casos incentivada pelo Poder Econômico.

O QUE SIGNIFICA VALORIZAÇÃO DO VOTO?

Valorizar o voto é honrar a democracia, mediante eleições realmente livres e verdadeiramente soberanas.














MOVIMENTO NACIONAL PELA VALORIZAÇÃO DO VOTO – MONAV
Na luta contra a fraude e a corrupção eleitoral

OS DEZ MANDAMENTOS DO ELEITOR CONSCIENTE

1º - Valorizar e dignificar o voto, utilizando-o para o engrandecimento do PAÍS, fortalecimento e grandeza da DEMOCRACIA e segurança da FAMÍLIA, para garantia do futuro de nossos filhos e netos.

2º - Não permitir que a corrupção, forjada e manipulada pelo Poder Econômico, faça de seu voto um instrumento ao alcance dos que só estão interessados em satisfazer suas ambições pessoais.

3º - Repudiar candidatos que, fantasiando-se de idealistas e humanitários, prometem mundos e fundos, além de dinheiro, emprego, alimento e remédio, com o intuito de explorar, em todos os sentidos, a boa-fé do eleitor.

4º - Condenar frontalmente os candidatos que, não respeitando a integridade do voto livre e consciente, exploram a miséria, com o objetivo de coagir eleitores a lhes dever favores e a votar por gratidão.

5º - Evitar votos brancos ou nulos com a desculpa de que nenhum dos candidatos merece ser votado, pois isso representa um julgamento injusto que poderá beneficiar os piores candidatos em prejuízo dos melhores.

6º - Advertir eleitores menos informados de que o voto secreto lhes garante a liberdade de consciência, que está acima de compromissos ocasionais e espúrios com candidatos corruptores. Votar em eleições livres é assumir compromisso com a própria consciência.

7º - Repelir a ação dos cabos eleitorais que, a troco de dinheiro e outras recompensas, agem como agentes comerciais intermediários, fazendo do voto alheio uma mercadoria lucrativa e relegando o eleitor ingênuo à condição de explorado.

8º - Desprezar qualquer tipo de propaganda eleitoral que atente contra a lei e a propriedade pública e privada, pois candidato que não respeita a lei não pode merecer o respeito e muito menos a confiança de eleitor que pretende valorizar seu voto.

9º - Nunca esquecer que o voto consciente é que contribui para fortalecer o verdadeiro poder democrático, que é o Poder do Povo, representado no Governo e nos Legislativos pelos cidadãos que são eleitos em eleições livres e soberanas.

10º - Defender, seja onde for, a valorização do voto, mediante reconhecimento de que todos nós, que possuímos título de eleitor, somos responsáveis pelos atos daqueles que elegemos e podemos ser responsabilizados pela democracia que temos. www.monav.com.br