4 de jun de 2010

Particularidades da visão de corrupção petista

Que a política é suja, todos nós sabemos muito bem. Afinal, qual setor não tem suas sujeiras? Outro dia ouvi de jornalista dizer que o meio de sua atuação é mais sujo que a política. Então o que fazer para promover uma limpeza em determinados setores? Identificar os canalhas e excluí-los da atuação. Mas ocorre um fenômeno na política brasileira atual: uma tática alimentada pela ilusão de adeptos de certos partidos com o aval para cometerem falcatruas em nome do "povo".

Conversar com um petista de carteirinha e ainda que tenha mais de 40 anos é uma tarefa dura, eles já ultrapassaram a fase da ilusão e estão na ceguidão voluntária, pois sabem muito bem que o PT é o partido mais bandido do Brasil, no entanto, gostam da dualidade e odeiam ter que entender a política nos seus bastidores, os noticiários bastam.

Encurralados pela verdade de que o PT lesa a nação, engana o povo e é o partido mais bandido do Brasil discursam: "ah, todos os partidos são assim". As pilantragens cometidas por outros partidos são de restrita autoria ao partido ao qual faz parte o corrupto, mas as bandidagens dos petistas é relegada aos políticos em geral. A beira de uma eleição, a produção de dossiês contra José Serra, produzidos pelos novos aloprados do PT, será caracterizado por uma política suja, mas nuca pelos políticos sujos do PT. Já, declarações de Serra que possa mostrar a fraqueza de Dilma Roussef como gestora será conduzida pela imprensa como ataque pessoal e desespero.


Nenhum comentário: