8 de jul de 2010

Eliza e Elvira: Mulheres que morreram banalmente. Dilma: mulher que matou banalmente

O jornal "O Globo" traz a repercussão do assassinato cruel cometido por Bruno, goleiro do Flamengo, e alguns companheiros contra a ex-namorada Eliza. O destaque é para a fala da duas presidenciáveis Marina Silva e Dilma Roussef, como são mulheres tiveram que opinar sobre o caso. No entanto vou me ater a Dilma Roussef, já que a candidata é uma ex-guerrilheira e entende muito de violência. Leia a fala dela:

- Repudio porque é um crime contra uma mulher - disse Dilma.

É incrível ver uma ex-guerrilheira, criminosa e assaltante condenando o crime alheio. Ela e sua companheirada estão acostumados inclusive a matar mulheres. Refiro-me ao caso Elvira Cupello Colônio que usava o codinome Elza que foi executada pelos próprios companheiro comunistas em fervereiro de 1936, por causa da insistência de Prestes e provavelmente com a aprovação de Olga.

No entanto, para os comunas os assassinatos cometidos por eles são uma necessidade da "causa" e de um "outro mundo possível", por isso não podem se enquadrar num crime comum. Devemos repudiar o crime não importando a motivação: política, ciúmes, dinheiro, etc. Acima de qualquer motivação o crime é sempre BANAL e se, a candidata Dilma tem orgulho do passado dela e de seus companheiros, ela não tem MORAL para condenar qualquer criminoso.

Eliza

Conheça o caso de Elvira Cupelo Colônia, morta a mando de Preste e Olga

Nenhum comentário: