20 de jul de 2010

José Serra em Goiânia denuncia apagão federal na infraestrutura

O candidato do PSDB à Presidência, José Serra, estava afiado nesta terça-feira. Durante palestra para empresários em Goiânia, na Federação das Indústrias do Estado de Goiás, o tucano fez críticas diretas à ex-ministra Dilma Rousseff, sua principal adversária na corrida pelo Planalto. Segundo ele, há um “apagão” de infraestrutura no país, inclusive no setor energético, do qual Dilma foi ministra durante o governo Lula. “Projetos não faltam, o que falta é competência para tirá-los do papel”, disse Serra.

O candidato afirmou ainda que “há 100 projetos engavetados”, e os que estão sendo tocanods são de energia suja. “Vai emporcalhar mais o nosso meio ambiente e a energia vai ser mais cara”. Serra comparou os apagões durante o governo do também tucano Fernando Henrique Cardoso, no final da década de 1990, ao que o Brasil enfrentou no ano passado. Segundo ele, faltava contrução de hidrelétricas durante a gestão FHC, mas o principal fator foi a falta de chuvas. O problema de energia no ano passado, disse Serra, “foi simplesmente incompetência da administração, o que é mais grave”.

Política externa – As críticas do tucano também miraram no governo Lula. Serra evita criticar o presidente de tamanha popularidade, mas nesta terça-feira disse que Lula realmente divulgou o Brasil no exterior, mas acredita que o presidente comete equívocos, como “acreditar em ditadores que são hitlerianos do século XXI”. Neste momento, o tucano foi muito aplaudido.

Promessas - Nem na hora de fazer promessas José Serra deixou os ataques de lado. Segundo ele, o projeto do trem-bala – comemorado pelo governo Lula e atribuído pelo presidente a Dilma Rousseff – não pode ter dinheiro público envolvido e que “se continuar assim”, o governo vai gastar 3 bilhões de reais por ano em subsídios. Serra afirmou que prefere investir em metrô e na ferrovia norte-sul e disse que é um absurdo não ter metrô em Goiânia. Para acabar com a burocracia do governo federal e simplificar os impostos, Serra prometeu organizar um grupo setorial com especialistas para cuidar desta área.

Em Goiânia, Serra encontrou um ambiente favorável para seu discurso. A petista Dilma Rousseff esteve no mesmo evento em junho, mas, segundo organizadores, o tucano levou o dobro de empresários ao local. Isso pode ser explicado pela força de Marconi Perillo, candidato do PSDB ao governo de Goiás, além dos senadores Demóstenes Torres (DEM) e Lúcia Vânia (PSDB), que também são muito representativos no estado.


Nenhum comentário: