24 de jul de 2010

Só não vê quem não quer: Prova de que Dilma é a favor da legalização do aborto


Abaixo a legenda da fala de Dilma, neste vídeo, sobre o aborto, esta é a prova de que a candidata vai modernizar o aborto visando o conforto da mulher:

"Eu duvido que alguma mulher defenda e ache o aborto uma maravilha, o aborto é uma agressão...ao corpo, além de ser uma agressão dói, além de doer imagino que a pessoa saia de lá muito baqueada."

[...]

"Todas as minhas amigas que eu vi passar por experiências entraram chorando sairam e chorando. Acho que o aborto, do ponto de vista de um governo, não é uma questão de foro íntimo é uma questão de saúde pública e que você não pode hoje segregar mulheres e deixar que certos métodos que hoje são encontradiços na população de mais baixa renda...o uso de agulhas de tricô, aquelas compridas, o uso de chás absurdos, o uso de métodos absolutamente medievais

Enquanto isso segmentos, há uma certa falsidade social, e as mulheres com mais alta renda vão pra hospitais clínicas privadas ou qualquer coisa e lá fazem o aborto. Acho do ponto de vista de um governo, não é uma questão e não pode ser tratado como uma questão de foro íntimo, então é uma questão necessariamente de saúde publica."

"A realidade que existe é essa: uma parte da população não tem acesso a este serviço. Obrigue-se (Governo) a ter tratamento pra pessoas pra não correr risco de vida igual nos países desenvolvidos no mundo inteiro, para quem estiver em condições de fazer o aborto ou querendo fazer o aborto."

Volto> Dilma esquece das crianças sacrificadas em prol das condições cirúrgicas que o governo deve propiciar para a integridade física da mulher

Como podemos notar, Dilma é contra o aborto por que dói, por que é uma agressão ao corpo e pelas condições em que são feitos. Segundo Dilma, o discurso de quem é contra o aborto é uma "falsidade social" das mulheres da zelite. Em nenhum momento, de todas as vezes em que foi perguntada sobre a questão do aborto, Dilma falou do maior prejudicado que é a criança no alto da sua vulnerabilidade. Colocou sempre como tema: a integridade física da mulher e as condições do processo abortivo.

Dilma omite sua opinião para a imprensa e a mídia não tem coragem de fazer esta avaliação. Assim como condena as ações do MST numa cidade de ruralistas e no outro dia põe o boné do MST na presença dos banais endossando os crimes; assim como apoia o controle da imprensa e noutro dia toma chá das cinco com Lily Marinho, Dilma lê um versículo bíblico em suas passagens pelas igrejas e, caso seja eleita, legalizará o aborto como prática do seu governo. 

Você acredita mesmo que Dilma cumprirá o acordo de deixar para o congresso o debate do aborto?

Nenhum comentário: