13 de ago de 2010

O culto a inexperiência e o ataque as qualidades

O aroma do que se processa na grande mídia em relação aos candidatos a presidência é no mínimo suspeito e nos pede que saíamos de dentro do panelão para observamos os ingredientes adicionados. Esse papo está meio gastronômico por que escrevo na hora do jantar, então vamos falar as claras...

Eu sei que é jargão, mas realmente noto uma mídia tendenciosa ao cultuar a inexperiência de Dilma. Uma Torre de Pisa: é assim o posicionamento dos grandes jornais, blogueiros e colunistas. As manchetes parecem orquestradas, as opiniões sair da mesma pessoa e processada numa ferramenta de sinônimos, enfim, o cartel midiático está todo posicionado à canhota.

Somente pelo fracasso dos discursos de Dilma não ter sido catastrófico, os jornais a tratam como uma grande estadista. É como se o Tabajara Futebol Clube não tivesse sido rebaixado da 3ª divisão para a 4ª e ganhasse como prêmio a Taça Libertadores da América. Queriam o quê, que ela tivesse um ataque de desespero e chorasse no ar do Jornal Nacional? Não, ela não foi uma maravilha e muito menos se comparada a seu rival principal, José Serra.

O escândalo do Mensalão que tinha como chefes os principais figurões do PT foi tema perguntado a... José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV) e a candidata do PT a assobiar e saltitar!

José Serra teve que responder a criticas a suas conquistas frente ao governo em São Paulo, como a qualidade das rodovias do estado em nível de países desenvolvidos. Mas, uma iniciativa petista pautando o jornalismo fala mais do preço e esconde a situação das rodovias federais a preço baixo, que dão exorbitante lucro de cadáveres aos IML’s. William Bonner ainda pergunta: “Candidato não é possível um meio termo, estradas de qualidade e baratas?” A urbanização de primeiro mundo tem dessas coisas, quem mora na favela tem “Eletrogato” e “Gatonet” á preço baixo, no entanto a qualidade não pode ser reivindicada.

Perguntado sobre a tentativa de desvincular a figura de FHC de sua campanha e a de Lula de suas críticas se saiu muito bem ao dizer que não pode governar com o retrovisor. Lula não é candidato e não há nenhum problema com FHC, o homem que implantou o Plano Real que controlou a inflação.

A inexperiência, é bom que se diga não ser o caso de juventude e sim de comprovação, é promovida como se fosse fator qualitativo para comandar um país do tamanho do Brasil e a história de conquistas irrevogáveis é tratada com despeito e preconceito. Com a configuração histórica em que estamos presentes, só posso concluir que Dilma é o novo Collor. Cuidem-se!

Nenhum comentário: