14 de mar de 2011

No Brasil não tem terremotos, mas Angra fica ao ladinho do mar

No "Jornal Nacional" uma matéria mostrava para orgulho e alívio dos brasileiros as diferenças entre as usinas do Japão e as do Brasil. Bom, primeiro o jornal "afirma" que, assim como no Japão, as usinas do Brasil tem sistema de segurança para prevenção de terremotos, as nossas de até 7 graus na escala Richter.

Aí começa as nossas vantagens de país maldesenvolvido. As usinas nucleares do Japão possui apenas um sistema de resfriamento, a nossa duas. A deles além de água tem também vapor, o que segundo especialistas não é bom, a nossa só água, o que seria ótimo. Então é isso, brasileiros mais preventivos que japoneses.

Peraê, peraê olha o mar aê! Aqui não tem terremoto nem tsunami, mas a reportagem omite uma informação que bate na ventas: as nossas usinas é ali rente ao mar, de frente pro mar. É praticamente o quintal de Angra. Aí se tem algum acidente fu###! Nem pesca, nem surf, nem praia, nem banhista e uma caçamba de dinheiro pra remediar o prejuízo irremediável. Em Chernobyl a radiação em algumas áreas continua 10, 20 maior que a normal 25 anos depois da tragédia sem falar que virou terra de fantasmas. E o pior de tudo, as usinas são responsáveis por apenas 2,5 da eletricidade consumida no Brasil, quase insignificante perante as outras fontes energéticas do país.

Nos orgulhamos tanto das nossas hidrelétricas, das usinas aeolicas e a potencial força do Brasil nas energias renováveis e estamos produzindo elementos altamente tóxicos. E o pior é que o Angra III já foi aprovado e segue projeto para aprovar o Angra IV. 

Pra finalizar, como diria o meu sogro: "o melhor nadador morreu afogado"!

ANGRA

Nenhum comentário: