30 de abr de 2011

Jornalismo brasileiro é o cassete (K7) !

Calma, não é nenhum palavrão ou ofensa ao jornalismo nacional. É apenas uma comparação do nosso atual jornalismo de protocolo com uma mídia musical meio retrô

O que temos nos jornais brasileiros é a simples captação de argumentos que logo são repassados ao telespectador/leitor/ouvinte que ao invés de informar provoca uma confusão mental, o que era para ser uma simples questão, as vezes, torna-se um dilema da forma como é retratada pela mídia.

O fato é igualado ao argumento e tudo vira verdade, esse processo beneficia tão somente ao sofista profissional de espalhar suas influências. Com a vigilância ideológica atroz, a mídia acabou desenvolvendo a fobia de ser comparada a conservadora, de direita e cristã em vista da dominância cultural do ideal progressista e comunista. Assim a mídia vigora como uma militante, já que tem uma imagem a divulgar e uma a negar, muitas vezes em pânico como o Apóstolo Pedro negou ser discípulo de Jesus Cristo.

Voltando a idéia inicial da comparação do jornalismo atual com uma fita cassete, vemos que a mídia tem muita enrolação e funciona como uma engrenagem onde a pauta das esquerda vira um "clamor" social; toca os lados A e B na sua psicose de privilegiar mais os lados do que os fatos e está mais do que velho esse sistema, né?

Nenhum comentário: