10 de mai de 2011

Governo PT defende direitos: Direito de Matar e Morrer

Num governo que se pretende tão onipresente quanto Deus, não é de se espantar que quando ofereçam "liberdades" sejam tão extravasantes quanto intervencionistas. Afinal, há de se convir que os extremos são primos. É assim com o PT de Dilma, eles defendem o Direito de Matar e Morrer.

Em sua campanha, Dilma se enrolou, mas se entregou quando afirmou que a mulher "tem o direito de abortar", para os politicamente corretos é "interromper". Orientação partidária, tanto que deputados foram expulsos do partido por discordar da pauta. Aqui, o Direito de Matar.

Agora, nesse mesmo partido, há deputados, senadores, passando por governador e até ministros de Estado apoiando a legalização da maconha com espaços próprios para os usuários da droga "recreativa". Aqui, o Direito de Morrer, vistas as conseqüências intermináveis e evolutivas da legalização.

A alegação para o Direito de Matar bebês é simples: só as mulheres pobres sofrem num processo danoso ao corpo através de práticas abortivas de fundo de quintal, as ricas vão para clínicas especializadas. Essa defesa entra em confronto com o Direito de Morrer, afinal só quem tem acesso as grandes clínicas de reabilitação social são os mauricinhos. No mundo dos viciados e ex-viciados, é comum dizer que as drogas levam a três caminhos, o CCC (Caixão, Cadeia e Clínica). Para o pobre este último "C" é impossível em razão do serviço ser extremamente caro, sobrou os dois primeiros "Cs".

Em razão da proporcionalidade e cultura é lógico que mulheres pobres recorrerão repetidas vezes as clínicas especializadas de abortos, se aprovado pelo governo. Conheço mulheres que abortaram mais de 4 vezes e outras até fazem isso de forma indiscriminada. No progressismo é assim, se o crime é recorrente então que se legalize. Não vou nem entrar no mérito do mercado abortista que encheriam os cofres e estão por trás de tudo isso.

Enquanto a juventude, quando não alienada, está inserida numa epidemia do Crack com vistas no horizonte para Oxi, droga ainda mais forte que se expande dia a dia, o governo Dilma corta verbas para segurança nas fronteiras por onde entra todos esses entorpecentes, parece querer facilitar o caos. Na verdade, o Direito de Matar e Direito de Morrer pode ser resumido estratégia de impedir e facilitar. Impedir que nasça mais pobres e Facilitar que os que estão vivos engrossando as estatísticas do crime morram. Um empurrãozinho  estatal.

Um comentário:

Anônimo disse...

Vejam esse vídeo sobre o posicionamento do Pr. Daniel Sampaio a respeito da decisão do Supremo Tribunal Federal sobre a sua validação da união homoafetiva como entidade familiar, abaixo:

http://www.youtube.com/watch?v=WIf1-qsVQ7g&feature=youtube_gdata_player