22 de jul de 2011

A vida imita a piada

Lembram-se das tiradas cômicas que surigram assim que o racismo ficou tipificado como crime inafiançável e imprescritível? Piadinhas como "se você não gostar de um negro, mata ele mas não chama de crioulo." Pois é, a piada era quase um reductio ad absurdum para evidenciar o ridículo de um sistema penal que deixa solto um assassino mas pune severamente alguém que ofenda verbalmente um membro de um grupo politicamente protegido.

Pois bem, o absurdum chegou. Todos estamos acompanhando a dimensão que tomou o caso do pai e do filho espancados porque teriam sido confundidos com um casal gay (vamos fazer de conta que a indignação seria a mesma se as circustâncias fossem outras). A polícia prendeu um dos suspeitos que confessou a participação no espancamento mas tratou de avisar... Wait for it... QUE NÃO OFENDEU A VÍTIMA!Duvida? Veja o vídeo com a reportagem (no finalzinho).Aaaah bom... Então tá liberado.

Nenhum comentário: