11 de mai de 2012

Jean Wyllys nem virou artista nem arrumou um galã; então descobriu o socialismo, virou deputado sem voto e passou a atacar o povo


Jean Wyllys, a celebridade de segunda linha que virou deputado federal, era tão ocupado como professor universitário que decidiu participar do BBB. Vitorioso, empregando a inteligente estratégia do vitimismo ilustrado — “Sou gay, culto (para o padrão da casa…), bacana e perseguido” —, encheu o bolso de dinheiro e tentou, vamos dizer assim, a carreira artístico-jornalística. É o que sempre acontece. Não foi tão bem-sucedido quanto a sua contemporânea Grazi Massafera: nem virou ator nem arrumou um namorado galã. Se não me engano, tentaram encaixá-lo no Fantástico e no programa de Ana Maria Braga, onde dividiria as atenções com Louro José. Também não rolou.
Aí ele descobriu o caminho do “Socialismo e Liberdade” e entrou no PSOL. Obteve ridículos 13.016 votos. O seu “Tiririca” foi o deputado Chico Alencar, que levou 240.671 votos. Chico é famoso por dizer as maiores barbaridades com muita seriedade.  Deputado, resolveu ser o porta-voz dos “homoafetivos”, ele próprio se expressando sempre de um modo muito “cut-cut”.
Na Câmara, descobriu quem é o verdadeiro inimigo: o povo.
Faz sentido. O povo, com efeito, é inimigo de todo o PSOL. Por isso o partido obteve, se não me engano, 0,7% dos votos na eleição presidencial. É uma gente muito ignorante mesmo! Onde já se viu rejeitar o socialismo, pô?

Nenhum comentário: