12 de jan de 2013

Jornalismo Jaiminho: sem checagem e com muita fadiga

O leitor/telespectador/ouvinte/CONSUMIDOR brasileiro é um verdadeiro refém dos meios de comunicação. Para evitar a fadiga, muitos jornalistas deixaram os fatos de lado e se entregaram às versões. Lado “A”, “B” e até “C” para contemplar você de argumentos, menos o GRANDE direito de saber quem blefa, quem fala de verossimilhanças e quem tem boa vontade. 

Leitor assíduo das colunas do grande jornalista Carlos Brickmann, pude notar em seus artigos, sempre armado de bom humor, sua insatisfação quanto aos profissionais do setor de comunicação. Checar, buscar, investigar deixaram o vocabulário, e cotidiano, do jornalista para dar lugar ao sentar e esperar pelas versões.

Resta ao leitor/telespectador/ouvinte/CONSUMIDOR escolher as informações que mais lhe interessa e fuçar na internet, nos livros, etc, para chegar ao real sentido da informação. Quanto àquelas informações que não lhe diz respeito meu caro, estamos privados de saber se a mídia só recebeu e ouviu os interessados e repassou sem checar. As massas continuarão a se alimentar de uma mídia fast food.


Nenhum comentário: